Porcelanato: Conheça os principais tipos e saiba qual utilizar

A escolha dos materiais e revestimentos sempre fazem parte do início de qualquer reforma. Nos últimos anos, os porcelanatos estão no topo da lista de acabamentos queridinhos dos clientes. Mas existem tantos tipos de porcelanato, com diferentes recomendações de uso, que a gente acaba ficando meio perdido na hora de escolher. No post de hoje a gente vai ajudar você a conhecer os principais tipos de porcelanato e qual a melhor maneira de utilizá-los. Confira mais detalhes abaixo e não erre na hora de escolher seu revestimento! Porcelanato polido Os porcelanatos polidos são conhecidos pelo brilho intenso, e por isso são muito utilizados em áreas internas. Esse tipo de porcelanato recebe uma camada de proteção, que dá o brilho à peça, fazendo com que o piso seja menos propenso a riscos e mais fácil de limpar. Por outro lado, esse polimento faz com que o material seja mais liso, escorregadio e resistente à água. Por isso não é indicado o uso em áreas molhadas, como banheiros e áreas de serviço, e áreas externas, como varandas e quintais. Porcelanato esmaltado A principal característica dos porcelanatos esmaltados é a camada de esmalte que é aplicada sobre a peça. Essa camada pode ter diferentes tipos de acabamento, como: liso, brilhante, fosco ou áspero. Esse tipo de piso é muito resistente a manchas e abre o leque de escolhas do cliente em relação a cores e estampas do design. Os diferentes tipos de acabamento fazem desses pisos verdadeiros coringas da reforma, pois podem ser usados tanto em áreas internas, com acabamento liso, e áreas externas, com acabamento áspero.   Porcelanato acetinado Para quem busca por um aspecto mais fosco, esse é o tipo de piso ideal. O porcelanato acetinado não tem brilho, o que faz com que seja muito resistente a riscos, disfarçando pequenos defeitos que podem ocorrer com o tempo de uso. É um tipo de piso que pode ser usado em qualquer área da casa, mas por não ser escorregadio, acaba sendo mais usado em áreas externas e áreas molhadas. Em áreas internas, o porcelanato acetinado tende a passar uma sensação de aconchego. Cuidados na instalação Agora que você já sabe tudo sobre os tipos de porcelanato, é bom saber que existem alguns cuidados a serem tomados no momento da instalação. É importante ficar atento às recomendações do fabricante em relação ao uso da argamassa indicada. A escolha do rejunte também demanda atenção especial. Fonte: Casa Show A Trena Reformas está aqui para te ajudar e te oferecer as melhores soluções Twitter Nome: * E-mail: * Telefone: * Anexar Planta (caso tenha)...

Read More

Quando é hora de trocar a fiação elétrica do imóvel?

Geralmente, pensamos em trocar toda a fiação elétrica do imóvel ou do escritório apenas quando falhas e problemas começam a acontecer, mas é necessário entender que nem sempre essa consideração deve ser feita com a rede elétrica, pois cada um dos componentes que utilizamos em um circuito de energia possui vida útil. Outro ponto que deve ser levado em consideração é que, com o tempo, os aparelhos eletrônicos vão evoluindo e mudando a concepção de consumo de energia, podendo economizar ou utilizar mais potência. Você não tem mais os mesmos aparelhos e nem a mesma quantidade que tinha há quase 30 anos; você trouxe outros elementos para a sua casa ou escritório. Computadores, TVs, ar-condicionado, celulares e outros sistemas mais complexos tomaram conta do seu ambiente, mas será que a fiação elétrica do local segue os mesmos passos? Quanto mais avançada a tecnologia fica, mais você deve se preocupar com a fiação de sua casa, escritório ou sala de reuniões, para que tenha maior segurança e economia de energia. Quando é hora de trocar a fiação elétrica? Não existe uma regra exata para de quanto em quanto tempo realizar a troca da fiação elétrica, mas fique atento aos sinais dos defeitos que a fiação pode apresentar antes de dar um problema definitivo, como quedas de energia, curtos, possíveis falhas de isolamento dos fios, entre outros. Quando nenhum desses problemas ocorre, um consenso existe que o tempo razoável para a troca da fiação é de uma vez a cada cinco anos. É necessária uma revisão da fiação elétrica para que sejam encontrados: problemas nos isolamentos dos fios, ligações com defeito ou risco de acidentes, inadequação às normas elétricas e se a rede é compatível com a realidade do imóvel e seus produtos. A partir dessa revisão, você estará por dentro de tudo o que acontece com a sua fiação elétrica e isso lhe mostrará exatamente se é o momento ou não de realizar a troca. A fiação também deve ser trocada quando chegar um novo aparelho no ambiente que exija o aumento da potência. Como proteger o ambiente? Na hora de realizar a troca da fiação, é necessário seguir as normas técnicas, como a NBR 5410 da ABNT, para instalações elétricas de baixa tensão. Ela foi feita diretamente para proteger os usuários na hora de realizar uma troca elétrica. Caso você não esteja trocando, mas sim construindo sua estrutura, porém ainda não tem certeza se tudo está coerente, consulte a TRENA REFORMAS para realizar o procedimento correto.   Fonte: Sperone A Trena Reformas está aqui para te ajudar e te oferecer as melhores soluções Web Site Nome: * E-mail: * Telefone: * Anexar Planta (caso tenha)...

Read More

Sinteco: Veja o Que é, Como Aplicar

A reforma de uma casa depende de muitos elementos para que o resultado saia realmente como o esperado e os moradores se sintam confortáveis. Um exemplo disso é o acabamento, este que é feito de muitas formas e costuma contar com peças e produtos específicos para que tudo fique perfeito, assim como ocorre quando o sinteco se faz necessário para uma casa. O sinteco, inclusive, é um produto que vem se mostrando muito primordial para as pessoas que possuem piso amadeirado ou de taco e costumam sofrer com uma estética desgastada. Se você já está a par das maravilhas do sinteco ou nunca nem mesmo tinha ouvido falar, continue conosco e confira uma série de informações mais do que valiosas. Veja tudo o que você precisa saber sobre o produto e aproveite para dar uma olhada em nossa galeria com resultados incríveis de pisos que usaram o produto. Afinal, o que é sinteco? Sinteco para lá, sinteco para cá e ninguém acaba explicando o que vem a ser esse produto, não é mesmo? Mas ficar tranquilo, pois a gente te explica tudinho. De modo geral, podemos definir o sinteco como um verniz transparente feito a partir da mistura de uma série de materiais que possuem a função de dar um novo ar ao piso ou escada em que o produto é aplicado. Saber o que é sinteco, portanto, é saber que existe no mercado algo que pode resolver o problema da aparência desgastada que pisos laminados, de taco ou feito a partir de placas amadeiradas podem vir a ter com o tempo. O sinteco dá um jeito em tudo isso dando ao piso uma aparência nova e muito interessante para qualquer casa. As vantagens que um piso com sinteco possui Agora que você já sabe o que é sinteco e para que ele serve, vamos às vantagens que esse produto oferece ao piso que é revestido com ele. As principais vantagens do piso com sinteco são: • O piso com sinteco é muito mais brilhante que os sem o revestimento; • Por ser um produto que funciona como revestimento, o piso com sinteco possui uma resistência muito superior; • O piso com sinteco recebe uma camada protetora que facilita durante a limpeza; • Essa camada também deixa o piso sinteco 100% protegido contra cupins, fungos e outros parasitas. Gostou de saber o que o sinteco pode fazer pelo seu piso? Então saiba que não acaba por aí! O sinteco ainda acompanha a dilatação que piso de madeira ou o taco vai sofrendo com o tempo, portanto demora muito para necessitar uma reaplicação. Além disso, o verniz sinteco enquanto produto é algo que rende muito e faz com que você...

Read More

Residência perto da Praia: Veja como proteger a casa contra a ação da Maresia.

Saiba quais tipos de tintas, pisos e telhados são mais indicados para residências próximas ao mar. Ninguém quer enfrentar transtornos relacionados à manutenção da casa de praia. Afinal, ninguém merece problemas inesperados em momentos destinados a descanso, certo? Para ficar longe de dores de cabeça e evitar reparos imprevistos, invista em acabamentos adequados para residências localizadas próximas ao mar.  Saiba quais materiais mais apropriados para cada área da casa. Confira:   Piso Quando o assunto é piso, Neto garante que os mais adequados são os porcelanatos (tipo gloss, ou seja, com uma camada de proteção contra riscos e manchas), com acabamentos foscos. É indicado a utilização daqueles com tons manchados, que disfarçam a presença constante de maresia e areia. Também indicamos o piso de tecnocimento, que tem boa resistência ao risco.   Tintas As tintas acrílicas aplicadas em paredes externas em regiões litorâneas duram cerca de três anos. Indica-se, então, o uso de tintas emborrachadas e elásticas, com base elastomérica, que são específicas para ambientes externos e, no litoral, têm durabilidade de cinco a seis anos. Para espaços internos, você pode investir em acrílicas semibrilho, que amenizam visualmente a ação da maresia e têm boa resistência. O tecnocimento também é adequado para paredes internas.   Telhado O material que será utilizado no telhado varia de acordo com o estilo arquitetônico da construção. Caso você utilize telhas cerâmicas, o arquiteto recomenda usar impermeabilizante para diminuir o efeito da cristalização dos sais de areia, que gera esfarelamento do acabamento. Recomenda-se o uso de tintas emborrachadas e elásticas devido maior durabilidade em áreas litorâneas Se a opção for pelas telhas de concreto, utilize aquelas com acabamento gloss (camada de verniz acrílico), que garantem um telhado limpo por mais tempo. Já nas casas com coberturas planas, podemos utilizar as telhas de fibrocimento sem amianto, lajes impermeabilizadas, com uma camada de argila expandida que proporciona melhor conforto térmico, ou, ainda, telhado verde.   Esquadrias Os materiais mais utilizados para esquadrias são madeira, alumínio e PVC. A madeira, cujo uso é cada vez menor, garante ótima vedação, mas exige mais manutenção, já que é necessária aplicação de verniz ou stain (outro tipo de acabamento para a matéria-prima) anualmente. Caso você queira pintá-la, lembre-se de utilizar um fundo para protegê-la. Neto atenta também para as dobradiças, que devem ser em inox para evitar a degradação causada pela maresia. Esse é o tipo de esquadria que permite o maior tipo de personalização. Em esquadrias de alumínio, o acabamento pode ser com pintura eletrostática ou anodização, que garante baixo grau de aderência de sujeiras, mas é bastante suscetível a manchas de argamassa. O alumínio também tem excelente resistência à corrosão, informa o arquiteto. Para garantir a sua vedação,...

Read More

A Fatura da água está mais alta? Saiba como descobrir de onde vem o problema

Aumento na conta da água pode estar ligado à vazamento, hidrômetro quebrado ou danos no encanamento Uma mudança brusca no valor da fatura da água nem sempre é culpa do desperdício. Quando há desconfiança de que há algo errado com o hidrômetro ou um vazamento, é preciso conferir. Saiba como: Um vazamento oculto é muito difícil de identificar e pode facilmente provocar um rombo na conta de água. Do lado de fora, tudo está sequinho e parece bem. Quando você quebra a parede para ver, encontra uma cratera. Ar no cano também conta Outro problema comum é a passagem de ar pelo encanamento.  Em vez de pagar só água, você paga também o ar que passa pelo hidrômetro. Isso pode aumentar a conta em até 50%. Fatura continua muito alta? Reveja seus hábitos e certifique-se de que não está fazendo mau uso da água e pagando caro pelo desperdício. Assegure-se de que o hidrômetro instalado em sua casa é certificado pelo Inmetro e que está fazendo a leitura de consumo corretamente Confira o encanamento Vá até o hidrômetro e anote o último valor registrado pelo ponteiro. Se a caixa de água não estiver completamente cheia, feche a entrada de água que vem da rede externa. Deixe o registro aberto. Se houver um vazamento, o ponteiro do hidrômetro vai continuar se movendo. Em alguns casos, é possível identificar em menos de uma hora. Vazamentos na instalação que utilizam água da caixa Certifique-se que todas as torneiras da casa estão fechadas e não use os sanitários Feche a torneira de boia da caixa para impedir sua entrada Faça uma marcação na caixa para indiciar o nível da água e aguarde um hora; após isso, verifique seu nível e sua marcação Em caso de nível inferior ao nível marcado, é indicação de que existem vazamentos em sanitários ou em canos que utilizam a água da caixa Precisa de caça vazamentos ou de serviços hidráulicos? A Trena Reformas está aqui para te ajudar e te oferecer as melhores soluções Nome Nome: * E-mail: * Telefone: * Anexar Planta (caso tenha)...

Read More

A importância da limpeza da caixa de água

A limpeza da caixa d’água das residências é fundamental para garantir um ambiente adequado e livre de bactérias, para reservar água. A contaminação da água põe em risco a saúde e provoca doenças como diarreia, hepatite, leptospirose, entre outras. No Brasil, 70% das internações hospitalares são causadas por doenças relacionadas à contaminação da água. A caixa d’água residencial é um grande reservatório que armazena água para o consumo daqueles que ali vivem. Essa água é utilizada em nossos banhos, no preparo de alimentos, lavagem de roupas, entre diversas outras finalidades (inclusive, muitos a bebem mesmo sem passar por qualquer processo de purificação). Ou seja, a água oriunda da caixa d’água é utilizada o dia todo, todos os dias. Por isso, a importância de ter um reservatório higienizado é a mesma de consumir uma água limpa e pura – ou seja, enorme! Quando a limpeza não é feita periodicamente, a caixa d’água pode acumular resíduos em seu fundo. Isso não só a obstrui, causando prejuízos para os moradores da casa, como também pode gerar doenças. Isso porque a falta de higiene constante propicia o surgimento de fungos, bactérias, protozoários e até mesmo algas. Esses agentes são contaminantes e, muitas vezes, tóxicos a saúde. Como limpar a caixa d’água corretamente? O modo correto de limpar a caixa d’água depende das recomendações de seu fabricante. Porém, de um modo geral, costumam seguir os seguintes passos (orientações da Sabesp – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo): Feche o registro que fica na entrada do equipamento. Se sua caixa d’água não tiver um registro, feche o registro de água da casa ou amarre a boia que fica no interior da caixa; Retire a água presente na caixa (deixe apenas 20 cm) e a armazene. Após, tampe a saída de água; Escove toda a superfície interna sem utilizar qualquer produto químico. Além disso, observe para que a sujeira não vá para as tubulações; Com uma pá de plástico, panos e baldes, vá retirando a água com resíduos do fundo da caixa. Cuidado para não contaminar as paredes internas; Deixe entrar mais 20 cm de água e acrescente 2 litros de água sanitária, criando assim uma solução esterilizadora. Aguarde 2 horas e utilize o líquido para molhar a superfície interna da caixa d’água; Após, mesmo com o registro fechado, abra a saída da caixa, esvaziando-a; Abra as torneiras, chuveiros e dê descargas para limpar as tubulações da casa. Além disso, utilize nos primeiros momentos para lavar o quintal, o carro, etc.; Tampe a caixa com atenção, vedando para que não entrem sujeiras e insetos. Sabemos que a higienização correta da caixa d’água não é um processo tão simples e rápido. No entanto, de acordo com a Anvisa (Agência Nacional de...

Read More
× Fale Conosco pelo Whatsapp